Aecio Sarti

Natural de Aracajú, formado pelo Colorado Institute of Arts (EUA), Aecio Sarti pinta o belo em suas representações humanas. Seja através de um trabalho rico em detalhes e cores ou de pinceladas soltas, grafitadas, monocromáticas, ele mostra a beleza de seus retratados em uma atmosfera muito particular. Uma atmosfera descomprometida com o olhar do outro, criada por Aecio para dar sentido à sua própria vida. Apenas isso.

 

Seus quadros apresentam histórias, sejam elas vividas, contadas, idealizadas, ou que somente deflagram sua constante busca por novos traços, novas técnicas, novos suportes e novas maneiras de dialogar com o mundo.

 

Sua carreira começou aos 14 anos de idade, com a mesma intensidade de hoje. Trata-se de um artista que nasceu artista e que passou a vida retratando pessoas.

Não há melhor maneira de conhecê-lo, senão pela análise das diferentes fases pela qual atravessou sua pintura até culminar nas atuais figuras alongadas, desenhadas em primeiro plano sem o uso de perspectiva, sobre uma lona de caminhão usada.

Os trabalhos existem com a pretensão de ser apenas uma fuga pessoal, mas já foram exibidos em exposições individuais, nacionais e internacionais, e atualmente fazem parte de acervos particulares e públicos em todos os continentes. Recentemente foi lançado o documentário "Céu de Querubins" que aborda a obra de Aecio inserida no contexto brasileiro. O filme curta-metragem participou e foi premiado em alguns festivais de cinema ao redor do mundo.

 

Dono de uma evidente maturidade artística, Aecio continua desvendando-se através de suas telas, convidando-nos para entrarmos em seu mundo.

Linha do Tempo

1959

Ano de nascimento, na cidade de Aracajú-SE

Anos 70

Aos 14 anos de idade já expõe e vende suas obras em praças e feiras da cidade. 

Com 16 anos tem suas primeiras aulas de pintura, sempre com interesse pela figura humana.

No final da década de 70 muda-se para os Estados Unidos e ingressa no Colorado Institute of Arts, em Denver.

Realiza suas primeiras exposições individuais fora do Brasil.

 

Anos 80

Volta ao Brasil e abandona a pintura por conta da crise financeira pela qual passava o país. Soma-se a isso uma severa depressão vivida por Aecio.

 

Anos 2000

No ano de 2002 volta a viver exclusivamente de sua arte e no ano seguinte realiza uma turnê com cinco exposições na Espanha.

Em 2004 é premiado em Miami com a obra "Vestido de Cortina". No mesmo ano muda-se para Paraty, lugar de seus sonhos. Em 2005 abre seu atelier no Centro Histórico da cidade, que continua ativo até hoje.

Em 2014 passa a viver em uma vila de pescadores de Paraty, e ali abre outro atelier.

Em 2016 abre galeria própria na cidade de São Paulo.

 

Galeria Aecio Sarti (Paraty RJ)   -  Rua Dr. Samuel Costa, 254 - Centro Histórico   |   (24) 3371 4157  |   galeria@aeciosarti.com  |  Aberto todos os dias das 12:00 às 22:00

Atelier Aecio Sarti (Paraty RJ)   -  Praia do Calhaus  |  galeria@aeciosarti.com  |  Apenas visitas agendadas