Vestido Novos
Vestido Novos

Festival de Arte Contemporânea de Paraty, 2012

Vestido Novos
Vestido Novos

Festival de Arte Contemporânea de Paraty, 2012

Vestido Novos
Vestido Novos

Festival de Arte Contemporânea de Paraty, 2012

Vestido Novos
Vestido Novos

Festival de Arte Contemporânea de Paraty, 2012

Vestido Novos
Vestido Novos

Festival de Arte Contemporânea de Paraty, 2012

Vestido Novos
Vestido Novos

Festival de Arte Contemporânea de Paraty, 2012

1/1

Imagens da exposição na Praça da Bandeira para o Festival de Arte Contemporânea de Paraty.

1/1

Vestidos Novos

Festival de Arte Contemporânea

(Paraty | Brasil - 2012)

A exposição “Vestidos Novos” retrata a história de Dona Almerinda, uma moça que morava numa cidade chamada Paraíso. Lugar de gente simples e hospitaleira; pessoas que viviam do trabalho nas fazendas de café e de gado leiteiro. Os moços eram agradáveis e tinham boas histórias para contar. O grande sonho de Almerinda era se casar e ter muitos filhos.

 

Devido aos desencontros da vida “perdeu-se” de seu grande amor. Com o coração solitário foi em busca de outro lugar para viver. Chegou então em uma vila de pescadores chamada Água Azul, lugarejo banhado por um mar de águas transparentes e de casinhas brancas que enchiam de vida seu novo paraíso. Meninos remavam suas canoas de madeira e meninas dançavam ciranda na areia da praia.

 

Contemplando o rodopiar das meninas com seus trajes coloridos, passou a costurar vestidos novos com cortinas velhas para as crianças mais pobres. Assim, a costureira passou cinquenta e dois anos de sua vida conhecida como Dona Almerinda, a mulher que costurava poesias.

Obras da exposição "Vestidos Novos".